domingo, 22 de fevereiro de 2009

Onde se encontra a tradução do amor por Louise Labé.

Também traduzo, palavras minhas pensadas por outros. Ou dos outros que penso ser minhas. Encontrei-me com Labé, não ao acaso. Ela surgiu por meio de mãos que me conhecem, além de mim. E esse ser além de mim, acertou profundamente quando deu-me os sonetos, fez-me traduzi-los e encontrar-me comigo mesma. Com minha pouca leitura sobre Louise, a vejo intensa e triste, uma Clarice, Maria, uma eu talvez. Assim, traduzi estes versos, na tentativa de aproximar-me desta poetisa e descobrir os maiores desafios: Viver e amar.


SONNET VIII
I live, I burn, I drown and I die
Eu vivo, eu queimo, eu afogo-me e morro.
I endure at once chill and cold;
Eu suporto uma vez o desanimo e frieza.
Life is too hard and too soft to hold;
(a) vida é demasiado difícil e demasiado suave para segurar.
I am joyful and sad, don't ask me why.
Eu estou contente e triste, não me pergunte porque.
Suddenly I laugh and at the same time cry
Repentinamente eu gargalho e em algum tempo choro.
And as I'm happy I must endure grief,
E como eu estou feliz eu devo suportar a pena.
It lasts forever and goes like a thief,
Ultimamente e eternamente ir como um ladrão.
Suddenly I bloom and vanish into sigh.
Repentinamente eu desabrocho e desapareço em um suspiro.
Thus I suffer Amors' inconstancy
Assim Eu sofro Amor inconstantemente
And when I think I am in great pain,
E quando eu penso eu estou em grande dor.
Without thinking, it is gone again.
Sem o pensamento , estas indo novamente.
Then when my joy is a certainty
Assim quando minha alegria é uma certeza.
And my longing for love is not in vain,
E meu anseio por amor não é em vão,
I am in pain all over once again.
Por toda à parte eu estou em dor novamente.

Naiana P. Freitas, 20 de feverreiro de 2009.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

ALÉM DA JANELA
Os pingos d´água caem lá fora. Ela da janela sozinha observa-os. Eles possuem objetivo,sentido,motivo. Sua vida passa,perpassa,remói. Olha os pingos novamente,caem conscientes de serem causadores de chuva.chuva causada por pingos.Vida motivada pr choro. choro abafado e só. A dança contínua da água. E nãoa dança de vida nela. Outro dia, haverá trovões e tempestades. Ela sufocou no peito todas as chamas, só restaram dramas e nem tempo há. Tempo. Não pode recomeçar. No quarto paredes brancas.Lembranças de um nada que jamais ousou possuir.A chuva intensificou as lágrimas tímidas. A primeira vez que passaram a ser contentes. Sem tempo,Suspiro.Naiana P. de Freitas, dezembro 2007.

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Alguns Trechos não meus...que inspiraram-me talvez.

" Então,sabendo que ele a estava observando,em vez de dizer qualquer coisa,ela se voltou,sempre com a meia na mão, e olhou para ele.E ao fazê-lo,começou a sorrir,pois embora ela não tivesse pronunciadouma só palavra,sabia ele,sabia-o com certeza, que ela o amava." V. Woolf.( p. 129. Passeio ao farol).

"Não sei porque nasceu em mim desde sempre a idéia profunda de que sem ser única nada é possívell"C. Lispector


" A carne é um peso díficil de se carregar. Mas é díficil o que nos incumbiram, quase tudo o que é grave é díficil: e tudo é grave."RAINER MARIA RILKE, Cartas a um Jovem poeta. p. 38