domingo, 15 de fevereiro de 2009

ALÉM DA JANELA
Os pingos d´água caem lá fora. Ela da janela sozinha observa-os. Eles possuem objetivo,sentido,motivo. Sua vida passa,perpassa,remói. Olha os pingos novamente,caem conscientes de serem causadores de chuva.chuva causada por pingos.Vida motivada pr choro. choro abafado e só. A dança contínua da água. E nãoa dança de vida nela. Outro dia, haverá trovões e tempestades. Ela sufocou no peito todas as chamas, só restaram dramas e nem tempo há. Tempo. Não pode recomeçar. No quarto paredes brancas.Lembranças de um nada que jamais ousou possuir.A chuva intensificou as lágrimas tímidas. A primeira vez que passaram a ser contentes. Sem tempo,Suspiro.Naiana P. de Freitas, dezembro 2007.

Um comentário:

Obrigada!!!