segunda-feira, 29 de junho de 2009

Dois que se sentem...

Dois que se sentem..
Fico longe dele. Longe
De cá sinto ternura, desejo.
Não são doses exatas de ambas, porque não sou metade, sou inteira
Quando perto acalmo o desejo e jamais a ternura.
Disparam cada uma a seu lado,
Vencendo não sei o quê...

Em um instante param juntas, se fortalecem e abarcam outros sentimentos e outros desejos.
Desejo e ternura, não são inimigos, mas de vez em quando medem forças. Força que une e não separa. Não faz metade, Faz inteiro. Humano desejo completa a alma ternura? Sim disse: sou inteira não metade. (05/01/07. Npf)

Um comentário:

  1. FIQUEI TODO ARREPIADO!!! PRATICAMENTE UMA ADÉLIA PRADO NA PÓS-MODERNIDADE! PARABÉNS! MANDOU MUITO BEM NO TEXTO!

    ResponderExcluir

Obrigada!!!