domingo, 2 de agosto de 2009

Os espaços intervalares da fama em um congresso de Linguistica histórica...e Clarice Lispector


Era para ser esse o título de uma quase crônica que pensei produzir.

No entanto, fugiu a inspiração e sobrou excesso de Clarice Lispector.Explico: Participei de um congresso. Essencialmente acadêmico, nada de especial. Pensava assim. O evento ao contrário me provou outra coisa. Existem muitos fãns na Universidade. Fãns de carteirinha, que compram livros para receber autográfos e etc...e ainda figem a ausência de tietagem no espaço inteligentissímo da universidade . Ser famoso é para poucos nestes eventos admito. No entanto, os poucos minguados, tornam-se "pop-star". Fui nocateada por tantos flashs...Perdi minha timidez ao ponto de fotografar dr. não sei de onde, dra. da USp etc..e nem sabia porque. risos.

Até briga presenciei. Sim briga acadêmica. São as melhores porque chega a um ponto que você nem sabe o que discutem ou se o dialógo esta em português. coisas estranhas. Agora desconverso, era para ter falado do último livro que li de Clarice: Àgua viva. Livro insuportávelmente perfeito. diálogo entre mim e ele insuportável. Mas acho que depois faço essa resenha a minha moda..no entanto n posso deixar de dizer: "O que estraga a felicidade é medo" p.61.


Então perco o medo e posto uma foto.

a foto de alguém DESFAMOSO.

EU MESMA.

Naiana Freitas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada!!!