quarta-feira, 7 de julho de 2010

Tempo...

Vários escritores já se debruçaram sobre o tema: "tempo".Em épocas, contextos diferentes, em gêneros diferentes. O tempo explode para eles em forma de carta, poema, conto.Pode ser que o tema "tempo" esteja concorrendo com o tema "amor". Os dois andam ora juntos, ora separados. Ambos continuam a ser enigmas. Eles continuam sem definição. Porque cada qual dá a eles seu sentido. E o sentido não é apenas linguistíco. É aquela coisa do sentir. É tão difícil definir sem palavras o que cada um é. E com palavras tudo é tão parcial.Os enamorados pela vida e pelo outro tentam dizer aos que não fazem parte de sua confusão, o que é amor. Mas como dizem, somente os privilegiados, podem vir a sentir amor pelo outro. Não sei por qual perspectiva se é privilegiado,ou desprevilegiado de alguma coisa. Então desisto de discutir sobre o amor. Pergunte ao enamorado mais próximo que encontrar e obterá a resposta.Se o que ouvir não for satisfatório, ame.Ame do seu jeito. Por outro lado, o tempo atinge a todos, e não usa flechas nem feitiço. O tempo chega a todos. Ao nosso corpo físico e a nossa alma. Dizem que o melhor deste processo é amadurecer,crescer e encontrar até mesmo tempo para viver e ser menos infeliz.Só acho que a gente não tem todo o tempo do mundo para viver e ser "feliz". Porque tudo é tão rápido e fugidio, que só se sente os problemas das coisas. E muitas vezes os problemas são tão grandes, que quando acabam não sobra tempo para sentir a "felicidade" que vem depois.Só sei que : " Todos os dias quando acordo,Não tenho mais o tempo que passou".Renato Russo(tempo perdido)

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. O tempo minha querida amiga é uma miséria qndo o assunto é pegar ônibus! Vc espera aquele buzu que liga a Terra do nunca ao Cabroró do Judas, e ele demora uma eternidade...É o tempo de vc ficar com raiva, com as pernas doendo e xingando o motorista lerdo! risos... Seu texto é ótimo! Daqui a pouco vc está derrubando canonicamente Adélia Prado! Parabéns.

    ResponderExcluir

Obrigada!!!