quinta-feira, 9 de setembro de 2010

o feitiço de escrever

Nossa!!! preciso usar uma onomatopéia bem grande!!

Descobri uma coisa que ao mesmo tempo que me deixou alegre e instaneamente me deixou assustada. O que foi, então? alguém poderá me perguntar de cara.Eu poderei responder ou não. Deixa disso, é melhor responder.

Primeira coisa, admito que estou inaugurando uma processo novo neste blog. O quê? Resolvi aposentar os manuscritos.Quer dizer mais ou menos, tenho manuscrevido pouco, quando o assunto é publicar alguma coisa aqui. É aquela coisa do capitalismo, aquela ânsia de ser prática. Então, para ter tempo necessito escrever na lata. É verdade que produzo pouco assim,ou muita besteira diga-se de passagem. Tempo é dinheiro deste o século XIX ou antes dele, bem como me diziam os antepassados que casamento também.

Contudo, em todo caso, todavia etc..etc..etc.. amo manuscritos. Ou melhor, escrever sem o barulho do teclado. Gosto de sentir o papel, o cheiro dele. E o deslizar da caneta,lápis nele. Sempre me pergunto: Que invenções mágicas! Recordo sempre daqueles filmes que levam alguém do século XXI a Idade Média, e lá ,com uso das suas invenções modernas, transforma-se em bruxo,feiticeira, fada talvez. Imagino assim, que maga seria. Eu com a caneta na mão. Com o fetiço de escrever.

Lembrei de BARTHES, com suas teorias todas em relação ao papel e o escritor. Ás vezes soa estranho lembrar de tanta gente e ao mesmo tempo, desconhecer tantas delas. êpa, o texto cresceu. Transformei em regra texto curto neste meio digital. Ninguém lê texto longo aqui. Cansa não è?

Não posso deixar de contar, o que descobri. Descobri que sou mais vista do que pensava, mais lida do que pensava, possuo leitores tímidos é verdade. Pois não me comentam, nem pedem meu telefone.(risos).Por uma situação que neste instante não posso revelar,descobri que sou lida na web em diferentes lugares, considero que ao abrir minha página você me ofertará a leitura minìma de minha rosa rosa, meio lânguida,meio pensativa, não vermelha como a do Pequeno Príncipe, ou tão tão furiosa. Eu que fotografei, eu que a tive durante um tempo perto de mim, posso ofertar a vocês.

Naiana Freitas 09/09/2010

Um comentário:

  1. Abandonar o manuscrito.
    Bem eu achei que um dia vc abandonaria, mas admito que o manuscrito é muito mais mágico.
    Não que a outra forma não tenha seu lado feiticeiro, digitar e semear pela Web.
    Conselho: pelo menos nas folgas mantenha seu bom hábito.
    Quereria eu ter começado manuscrevendo (af! isso foi um neologismo?!.

    ResponderExcluir

Obrigada!!!