domingo, 13 de fevereiro de 2011

Uma prova de geografia ,uma prova de concurso e a não resposta.

Uma prova de geografia ,uma prova de concurso e a não resposta.

O que é uma prova?Neste momento não vou fazer um breve histórico de todas as provas que já fiz na vida. Claro que lembrei daquela prova de geografia que fiz na 7º série, onde não sabia responder quantos estados compõem os Estados Unidos da América. E depois, tudo ficou tão óbvio que a prova se tornou agora a lembrança de uma feliz falha, mas aos 13 anos foi um tormento. Não acertei aquela questão. Depois vieram as provas da faculdade, nestas recordo sempre das provas de realidade fantástica. Aquelas respostas que elaborei em um período de duas horas e que tinham a extensão de duas páginas frente e verso para cada questão. Esconderei os fracassos das respostas mais objetivas. Porque sou subjetiva. Sempre estou no espaço da subjetividade. Da minha subjetividade tão vasta e extremada. Então depois de passar anos respondendo as respostas quase perfeitas, eis que agora elaboro as perguntas quase primorosas. Passei para o lado de lá. O lado de quem deseja as respostas para as suas perguntas de prova. Nisso, posso dizer que sou até melhor. Porque o meu estado de não concretude, independência e identidade levam-me a não desejar respostas extáticas e vazias. Quem está no centro é quem responde, ele só tem que ser inteligente para me convencer de sua resposta. Mas a intenção desse texto é falar de uma prova especifica uma que estou iniciando o meu processo de acomodação psicológica e intelectual. Neste caso, uma prova de concurso. Nesta, as respostas sempre são as mais estranhas. E parecem nunca verdadeiras. Assim, a cada prova que faço, percebo que devo saber sempre menos e apenas ter uma idéia da resposta que eles supõem ser a correta. É só isso. Mas isso é o mais difícil concordo, entender a subjetividade do seleto grupo de profissionais que elaborou uma prova em que 100 pessoas lutam por uma vaga. Mas, é um processo... quem sabe na milésima prova que responder encontro as respostas sempre certas? Será que já não fiz a milésima? Se eu faço prova desde os três anos de idade? É, pensando bem, só há uns 4 anos percebi o pensamento que deve te mover a responder uma prova de concurso. Que é: o que sei, sei. Mas não é isso que eles querem saber.. .A resposta certa não é a minha e sim a deles.

Naiana Freitas – 13/02/2011

2 comentários:

  1. Realmente Naiana. O que sabemos é que eles precisam de um método de exclusão bem eficaz, pois as vagas são poucas. Terrível realidade brasileira.

    ResponderExcluir
  2. POis é cara Naiana, eu não sei te responder quantos estados compõem os EUA, e nem quero saber, já basta saber o do país em que vivemos. Nenhum professor na escola me ensinou isso, só me pediam pra estudar os blocos econômicos, O G20 e daí por diante. As respostas de provas de concurso são mesmo uma fraude, eu que o diga, pois na prova do concurso do estado, as mais óbvias,eram as mais falsas, sendo que minha resposta estava certa e a deles não, mas como você disse, a resposta que eles querem é a deles e não as nossas. E vamos morrer fazendo provas, e nunca teremos a resposta certa. Acredito que até na hora de morrer vamos fazer uma prova para saber se vamos ou pro céu ou pro inferno ou permanecer no purgatório mesmo!

    ResponderExcluir

Obrigada!!!