sexta-feira, 25 de março de 2011

Eu, uma leitora compulsiva de placas.

Eu, uma leitora compulsiva de placas.


Admito. Dez ou mais vezes admito! Eu sou uma leitora compulsiva de placas. Leio todas. Não excluo nenhuma. È verdade, que muitas delas não são úteis. São serviços como: trança-se cabelo, fazem-se doces por encomenda, geladão R$0, 50, Banca, reforço escolar, aluga-se casas, não jogue fora seu móvel usado, conserta-se fogão, geladeira, maquina de lavar, pasteis fritos na hora, acarajé, louve a Deus, Jesus voltará, moto táxi, fiado só amanhã, frutas, sombrinha etc. etc.. Só sei que as placas me chamam atenção, desde aquelas escritas em um muro com um aparente resto de tinta ou as elaboradas em uma gráfica com bastante cor, enfeite e figuras bonitas de comida que com certeza aquele restaurante não oferece. O ruim que com o tempo passei a adquirir o dom para recriminá-las ortograficamente. E transformei-me no tipo de pessoa que puxa conversa não com a frase:- vixe, o tempo tá calor né? Semana passada, estava com meu irmão em uma fila, aqui em salvador existe até fila para o elevador Lacerda, essa fila terminou todo o nosso repertório de conversa. De repente, eis que vejo uma placa, com o uso de palavras homônimas trocadas, lá que faço a minha pergunta: Qual o erro daquela placa?Para desafiá-lo um pouco. Ele pensou. E como não é bobo me disse à resposta que desejava ouvir. A partir deste momento um vasto campo de conversa surgiu, e acho que dei até aula de homônimos, parônimos, termos simpatizantes e híbridos na fila. O lado positivo de ler tantas placas é que nunca me falta conversa, eu reflito sobre a criatividade das pessoas na tarefa de se fazer entendível, e a terrível batalha para domar a língua portuguesa. O lado negativo é que sempre leio as mesmas placas. Parece que elas chamam hipnotizando-me egoisticamente e eu não resisto e leio-as de novo, de novo sem parar. E penso: - já li, não acredito que vi isso de novo, gastei minha visão... Então como uma saída, terapia. Eu preciso fechar meus olhos e me concentrar em uma matemática ilógica. Assim, no momento em que torne visível tudo eu somente possa ver as placas invisíveis.



®Naiana Freitas, 25 de março de 2011.

Um comentário:

  1. Então somos duas Nai, pois eu também sou viciada em ler placas, principalmente erros ortográficos nelas. Acho que só leio para achar algum erro, esse povo de letras tem essa mania mesmo. É bom porque acabamos treinando nossos olhos e deixando-os aguçados para quando vermos uma placa ele já ficar piscando, rsrsrs.

    ResponderExcluir

Obrigada!!!