segunda-feira, 6 de junho de 2011

.Trecho de Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres da senhora Lispector.

“[...] O amor por Ulisses veio como uma onda que ela tivesse podido controlar até então. Mas de repente ela não queria mais controlar.

E quando  notou que aceitava em pleno amor ,sua alegria foi tão grande que o coração lhe batia por todo o corpo,parecia-lhe que mil corações  batiam- lhe  nas profundezas de sua pessoa. .  Um direito de ser tomou-a, como se ela  tivesse acabado de chorar ao nascer. Como? Como prolongar o nascimento pela vida inteira? Foi depressa ao espelho para saber quem era Loreley  e para saber se podia ser amada. Mas assustou-se a se ver.” .

Eu existo, estou vendo, mas quem sou eu? E ela teve medo. Parecia-lhe que sentindo menos dor, perdera a vantagem da dor como aviso ou sintoma.  Estivera incomparavelmente mais serena porém  em grande perigo de vida: podia estar a um passo da morte da alma,a um passo desta já ter morrido, e sem o benefício  de seu próprio aviso prévio."

 LISPECTOR. Clarice. Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres. Rio de janeiro, Rocco, 1998.  p.128.

Um comentário:

  1. Eta que bom, hein?
    Demais este trecho de Lispector!
    Muito bom e instigante!
    Bjos
    Tania

    ResponderExcluir

Obrigada!!!