quarta-feira, 20 de julho de 2011

Apreciação obra: O que pensam os alunos sobre a escola noturna de Vilma Abdalla.

ABDALLA, Vilma. O que pensam os alunos sobre a escola noturna. São Paulo: Cortez, 2004. (Coleção questões da nossa época). Vol.110.

A obra relacionada ao público da EJA que procurarei fazer uma breve apreciação chama-se: O que pensam os alunos sobre a escola noturna. De autoria de Vilma Abdalla. O foco do livro é o ensino médio noturno.  Em relação ao tamanho e o número de páginas o livro aparentemente pode causar a exclamação: que livro fininho!  Mas quanto ao conteúdo, o livro foge ao estereótipo. Porque contêm de forma suave reflexões acerca da escola e dos alunos da EJA subsidiados por teóricos bem fundamentados. O que pensam os alunos sobre a escola noturna está dividido em quatro capítulos. Eles são intitulados: O começo, O meio, O entre e O quase fim: analisando as questões principais. O tom que percorre todo o texto é de caráter íntimo, biográfico em certo ponto, porque Vilma Abdalla o escreve a partir de suas experiências pessoais dentro do ambiente escolar. O livro é composto por relatos, depoimentos dos próprios alunos sobre alguns temas-chave como relação entre professores e alunos, violência, mau comportamento, evasão escolar etc.. Esse texto possuirá como modelo narrativo o estilo apresentado no livro, porque tenho uma profunda simpatia por este modo de narrar, com o uso da primeira pessoa. Como grande parte dos textos teóricos utilizados na disciplina focam no sujeito e na percepção que este tem do mundo, optei novamente por este estilo de apresentação.
No primeiro capítulo, O começo, Vilma Abdalla, com 15 anos de experiência com a docência da Educação de Jovens e adultos, desenvolve os motivos que a levaram a escrever o livro. O mês de início é novembro de 2000. O embrião do livro é a sua dissertação de mestrado. Neste mesmo capítulo ela elabora uma metáfora na qual a escola é comparada a um transatlântico. Assim vários questionamentos são elaborados: “[...] com suas janelas iluminadas, a escola faz lembrar um grande transatlântico navegando com suas luzes acesas, num mar escuro.” Para onde estaremos indo?”[...] Esse navio tem rumo? E será que é o rumo certo? Para onde será que esses alunos passageiros querem ir? Será que o rumo traçado pelos tripulantes é melhor para esses passageiros? Em que porto esse navio vai dar com os costados?” (ABDALLA, 2004, p.10)

  
****Nota da autora:
Esse texto  foi elaborado para a  disciplina EDUC291-EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS,UFBA 2011. Só postei a introdução e o primeiro paragráfo de meu texto.Assim recomendo a leitura do livro.obrigada!

®Naiana Freitas, 20 de junho de 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada!!!