quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Como lutar por comida gratuita?




 “[...] Da plebe doem os membros
No chicote do poder,
E o momento é malfadado
Quando o povo ensanguentado
Diz: já não posso sofrer."

Castro Alves

Embalada pelos encontros com Castro Alves nessa semana, permito-me citá-lo na busca por minha resistência.  Não qualquer resistência. Não aquela recortada pelo traço da etnia, classe ou gênero. Minha resistência está apenas em resistir. E assinalar como somos e estamos envoltos todo o tempo por uma ideologia empoeirada de passado. Voltando sempre para o socialismo perdido e desgastado ou para uma ditadura não cicatrizada. E o capitalismo? Cadê Ele? Ele é o deus de hoje, sem dúvida alguma.  Resistir com Castro Alves é a solução? Não. Não. A ideia aqui é me aliar a alguém que teve voz e que pensou alguma coisa que vulgarmente escrevo de outra forma. Como podem os estudantes universitários se aliarem a pensamentos românticos e distantes da realidade? Como estudar qualquer área do saber sem pragmática? Como lutar por comida gratuita? Se nem ao menos temos comida para todo mundo?

®Naiana Freitas, 29 de setembro de 2011

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Eva...


Eva...

Eva foi responsabilizada pela primeira culpa humana. Desde lá nós mulheres somos constituídas por essa culpa circundante. Quem iniciou esse discurso no início do mundo? Não fui eu, porque estou escrevendo meu discurso agora. Quem foi esse homem inspirado?

®Naiana Freitas,26 de setembro de 2011

sábado, 24 de setembro de 2011

Mas, sabe ainda consigo pensar na copa?


Mas, sabe ainda consigo pensar na copa?

Parece que agora não privatizarão mais o Elevador Lacerda.  O ônibus que deveríamos pagar R$0.50 antes de pegar outro de empresa diferente no intervalo de 1h está fracassado. E existe empresa diferente?  As vias que deveriam ser livres cada dia estão mais abarrotadas, imensos engarrafamentos gigantes, ônibus vomitados, mais de duas horas em pé. Acho que não deveríamos sediar a copa não. Deveríamos sediar as Olimpíadas! Acho que nós pobres teríamos ótimo desempenho porque é corrida de obstáculos para pegar o ônibus, teste de resistência física e mental ficar tanto tempo em um lugar torturante que é ônibus cheio. Ai, ai, ai como será lindo, aquele jogozinho que a seleção brasileira se arrastará para ganhar, ai que lindo tanto torcedor feliz da vida, com suas bandeirinhas de plástico. Chorando com aquele gol do finalzinho e esquecendo-se de tudo que passa nessa São Salvador! Por que não sou barsileiraaaaaa assim? Dizem que não desistimos nunca não por virtude, mas sim por sobrevivência é por isso que somos um povo de fé. É mais fácil acreditar no metafisico do que não coisas concretas que perambulam por aqui.

®Naiana Freitas, 24 de setembro de 2011.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Trecho do conto: Gertrudes pede um conselho.



           
Trecho do conto: Gertrudes pede um conselho.


“[...] Cada pessoa é um mundo, cada pessoa tem sua própria chave e a dos outros nada resolve; só se olha para o mundo alheio por distração, por interesse, por qualquer outro sentimento que sobrenada e que não é o vital; “o mal de muitos” é o consolo, mas não é solução.

                                                                                                                             
Trecho do conto: Gertrudes pede um conselho. In: LISPECTOR, Clarice. A Bela e a fera. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.p.24.

I love words...why?


I love words…why?

Translation is the mirror of words.
Linguistic is the structure of words.
Literature is the creation of words.
Cinema is the image of words.
Culture is the values of words.
Therefore,
I love words!



®Naiana Freitas, 20 de setembro de 2011.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Na certeza e incerteza de Carlos Drummond de Andrade


A incerteza de tudo/ na certeza de nada”

Carlos Drummond de Andrade- Poema Balanço


®Naiana Freitas, 22 de setembro de 20 11.