quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Como lutar por comida gratuita?




 “[...] Da plebe doem os membros
No chicote do poder,
E o momento é malfadado
Quando o povo ensanguentado
Diz: já não posso sofrer."

Castro Alves

Embalada pelos encontros com Castro Alves nessa semana, permito-me citá-lo na busca por minha resistência.  Não qualquer resistência. Não aquela recortada pelo traço da etnia, classe ou gênero. Minha resistência está apenas em resistir. E assinalar como somos e estamos envoltos todo o tempo por uma ideologia empoeirada de passado. Voltando sempre para o socialismo perdido e desgastado ou para uma ditadura não cicatrizada. E o capitalismo? Cadê Ele? Ele é o deus de hoje, sem dúvida alguma.  Resistir com Castro Alves é a solução? Não. Não. A ideia aqui é me aliar a alguém que teve voz e que pensou alguma coisa que vulgarmente escrevo de outra forma. Como podem os estudantes universitários se aliarem a pensamentos românticos e distantes da realidade? Como estudar qualquer área do saber sem pragmática? Como lutar por comida gratuita? Se nem ao menos temos comida para todo mundo?

®Naiana Freitas, 29 de setembro de 2011

Um comentário:

  1. Naiana, gostei demais de lhe conhecer. E de conhecer também esse seu espaço aqui. Você escreve tão bem, com firmeza e sabedoria! Bjos, Aeronauta.

    ResponderExcluir

Obrigada!!!