sábado, 8 de outubro de 2011

E na espera por ler, namoro.




São tantas coisas que preciso ler. Mas, agradeço por ser capaz de fazer esse exercício. Além disso, são os “se(s)” que entram. Se tivesse mais tempo, se tivesse menos textos acadêmicos, se tivesse mais visão, se tivesse menos sono, se tivesse menos atividades sociais- acadêmicas, sociais-familiares, sociais de amizade, sociais de obrigação... Leria mais.  Ultimamente tenho me aproximado dos contos. Eu nem gostava tanto deles, eu era dos romances, das grandes lombadas... Agora, faço dos livros de contos páginas de sabedoria, porque os leio como se fosse uma leitura religiosa, silenciosa para não pensar. No silêncio ativo um freio, paro. Logo depois, desço uma ribanceira inteira com um caminhão de pensamentos. Ler é acalmar. E na espera por ler, namoro. Sim, namoro os livros antes de lê-los e antes de tê-los. É por isso que preciso passar longe de uma livraria, mas tenho um mouse, uma tela e muitas caixas de busca que me fazem em um momento de distração encomendar livros que ainda não tenho.
Ser alfabetizada e letrada é um feitiço para mim. Nesse exercício me transformo em bruxa, em fada, em mágica sem cartola e visito o maravilhoso.

® Naiana Freitas, 08 de outubro de 2011.

Um comentário:

Obrigada!!!