segunda-feira, 3 de outubro de 2011

É nas trajetórias não obrigatórias da vida que “A verdadeira ternura não se confunde” (Anna khmatova)



É nas trajetórias não obrigatórias da vida que “A verdadeira ternura não se confunde” (Anna khmatova)


A verdadeira ternura não se confunde< Anna khmatova>
A verdadeira ternura não se confunde
com coisa alguma. É silenciosa.

Em vão envolves com cuidado
os meus ombros e meu colo nesta estola.

Em vão palavras carinhosas
dizes sobre o nosso primeiro amor.

Como conheço bem esses insistentes
e insatisfeitos olhares teus.

Dezembro de 1913
Tsárkoie Seló

É a curiosidade acerca das coisas importantes que me move, então em uma palestra sobre tradução de poemas no Reino Unido, conheci a escritora russa: Anna Khmatova. A palestrante pronunciou tão bem, mas não sei para que lado “vai” essa pronúncia. Eu lembro muito do formalismo russo nas aulas introdutórias de literatura na Universidade, nunca ouvi falar dela. É nas trajetórias não obrigatórias da vida que aprendemos alguma coisa que valha. A vida de Anna Khmatova foi marcada por situações dolorosas, seu pai não desejava que poetasse, abandonou a família quando ela era adolescente. Ela com esforço terminou seus estudos, casou-se e seu marido foi morto por não seguir os ideais soviéticos. Afastou-se da vida pública, silenciou-se. Mas, deixou seus poemas. É verdade que só encontrei poucos em português na internet, mas vou pesquisar mais... Ela trocou cartas com outra escritora Russa. Pretendo encontrar as cartas... Gênero textual que amo.

Referência sobre os poemas e sobre literatura Russa: http://www.lumiarte.com/luardeoutono/annakhmatova.html

®Naiana Freitas, 03 de outubro de 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada!!!