sábado, 10 de dezembro de 2011

A cidade...

Foto: Naiana Freitas /Salvador vista do Ferry-boat.

O título é a cidade. Poderia completar com: “... a que nasci.” Contudo, cada dia que passa a imagem dessa cidade vai esmaecendo. Sumindo. Desaparecendo. Essa Salvador parecia mais minha, quando era criança. Nessa época tudo para mim era fantasia, lindo e doce. Hoje, a fantasia reina em meus sonhos, meus castelos de letras, ideologias... O lindo, eu persigo em cada poema, na tentativa de retornar a alguma coisa que perdi na labuta com a realidade fria. Ah e o doce, o doce está sempre em minha companhia, minhas companhias. No meu cúmplice convívio, na convivência barulhenta de meus irmãos, no dia-dia “que assinam embaixo” os meus pais... Na aliança amigável com os meus amigos eternos, amicíssimos irmãos, transeuntes colegas. E a cidade vazia, nesses momentos de nostalgia, traz uma serenidade. E  eu volto a épocas passadas. Queria um grito ufanista: amo essa cidade! ! Mas, acredito que só direi isso quando não morar mais aqui. Nômade, precisarei de um lugar para voltar. Agora, eu só quero sair.

®Naiana Freitas, 10 de dezembro de 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada!!!