quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Da série de não possessivos II/Ângela Vilma.



Amorosa/ Ângela Vilma

O que eu faria se deitasses ao meu lado?
Sentiria, enternecida, teus cabelos?
Permitiria que o vento vindo de ti
Estremecesse meu ventre, meus seios?

Que palavra diria? Que riso riria?
Deleitosa, me abraçaria a ti?
Deslizaria sobre teu corpo, enfim,
Minha mais desnuda solidão?

Ou dormiria, então, no teu ombro,
Entrelaçando teus indóceis sonhos?
Será que nesse momento te tocaria
Tão leve, que sequer te acordaria?

O que eu faria, deitada ao teu lado?
Arrebataria teu corpo nas águas
Cálidas, diabólicas, de minha alma?
Te amaria com o ódio que me consome?

Ou apenas, amorosa, chamaria teu nome?

VILMA, Ângela. Poemas para Antonio. Salvador: P55 Edições, 2010. p.14



©
NPFreitas, 26 de janeiro de 2012

3 comentários:

  1. Obrigada, querida, pela homenagem, pelo carinho, por tudo!Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi difícil escolher um, aeronauta! Eu tinha escrito uma ou duas frases para explicar o motivo de cada poema aqui, mas desisti para não limitar os textos e achei "pouco" o que havia escrito, então somente postei os textos.Como disse Quintana:
      "[...] basta um momento de poesia
      para nos dar a eternidade inteira"
      obrigada!

      Excluir
  2. É tão, sei lá, íntimo e bonito..
    E ao mesmo tempo as inquietudes e questionamentos dela parecem ser tão reveladores do que ela sente, como se as própris perguntas deixassem de lado as respostas pq qualquer dúvida já é respondida pelo profundo sentimento dessas questões. Sei lá...
    Gostei muito, boa postagem Nai!!! E parabéns a quem escreveu, lógico!!

    ResponderExcluir

Obrigada!!!