sábado, 14 de julho de 2012

Hum



Você diz: bom dia.
Sei que não é bom dia!
Depois, você diz hum.
Depois mais um hum.
E às vezes hum-hum.
Conheço seus huns.
E nem tão longe vou a teu pensamento.
São camadas de huns sem fim.
Que nem posso ir de tão longe.
Quando você diz bom dia,
É na intenção, intenção sua... Intenção de esconder a minha alma sua aflição.
Embora, você saiba e eu te confirmo agora: Até no silêncio eu sinto sua alma que chora.

Naiana Freitas, 11 de julho de 2012.

Um comentário:

Obrigada!!!