domingo, 30 de dezembro de 2012

As duas almas do homem de acordo com Machado de Assis...



“[...] Cada criatura humana traz duas almas consigo: uma que olha de dentro para fora, outra que olha de fora para dentro*... Espantem-se à vontade, podem ficar de boca aberta, dar de ombros, tudo; não admito réplica. Se me replicarem, acabo o charuto e vou dormir. A alma exterior pode ser um espírito, um fluido, um homem, muitos homens, um objeto, uma operação. Há casos, por exemplo, em que um simples botão de camisa é a alma exterior de uma pessoa; - e assim também a polca, o voltarete, um livro, uma máquina, um par de botas, uma cavatina, um tambor, etc. Está claro que o ofício dessa segunda alma é transmitir a vida, como a primeira; as duas completam o homem, que é, metafisicamente falando, uma laranja. Quem perde uma das metades, perde naturalmente metade da existência; e casos há, não raros, em que a perda da alma exterior implica a da existência inteira”


ASSIS, Machado de. O Espelho. In: Obra Completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar 1994. v. II.

Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/bv000240.pdf
(* A letra em vermelho, eu acrescentei)


Esse texto é um manancial para discussões, fora que a escrita preenche a lacuna dos amantes do passado.  Sugiro a leitura integral do conto e o site da biblioteca digital: http://www.dominiopublico.gov.br/ .

Naiana Freitas, 30 de dezembro de 2012. 

P.S:
(* A letra em vermelho, eu acrescentei)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada!!!