segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Para quê reclamar do carnaval 2013 de Salvador?




Vou ser direta hoje. Nada de voltas, revoltas, metáforas e aliterações. Meu texto tem um objetivo único: dizer que não vou reclamar do carnaval em 2013. Nada de bater na mesma tecla, já basta meu teclado quase apagado...

Muitos, aqui, odeiam essa festa. Ela de longe parece até organizada. [a única coisa que funciona nessa cidade]. Existe esquema de segurança para resgatar o abadá, camarotes-palácios e água mineral inflacionada. Escorreguei na tecla. Eu devia apenas relatar as situações boas...

 Mas, batendo na tecla mesmo, posso dizer que desde quarta-feira a cidade PAROU. As ruas do percurso foram fechadas sem aviso prévio. Desta vez, eu estava no ônibus na Barra quando o trânsito foi alterado. Os pontos de ônibus mudaram de lugar, um engarrafamento quilométrico, pessoas desnorteadas. Na verdade: uma prévia da avenida.

O carnaval está acontecendo lá fora... Estou longe, bem longe dele. Acho que quero reclamar menos porque já reclamei demais nos outros anos e desde janeiro reclamo desse carnaval. Escrevi tantas notas aos jornais e nenhuma foi publicada. Só publicam o que não destoa... Sem falar naquele camarote em Ondina que tomou quase toda a areia da praia... Ouvi dizer que ano que vem a União barrará a construção, será mesmo?

Não vou pular para fazer as pazes com o carnaval da gente. Não vou não, vou desejar um carnaval lento. Que demore suficientemente o bastante para aumentar meu feriado, meu exílio em casa para atender a todas as formalidades que batem a porta.

Carnaval, carnaval você é mais forte do que eu, eu sou somente formiguinha. Então para mim, é melhor não reclamar... Vou aproveitar a folguinha.

Naiana Freitas, 11 de fevereiro de 2013.

Um comentário:

  1. Adorei o texto Nay! É bem a nossa cara, a cara de quem vive o carnaval sem participar da folia! Parabéns!

    ResponderExcluir

Obrigada!!!