domingo, 3 de fevereiro de 2013

Poema entre carros




Dia de sol
O calor
Estilhaça o corpo da gente

Nem brisa tem
Ah! mas, teus braços trazem frescor!

Braços trazem abraços
Prendem o mundo lá fora
Carros velozes passam, passam
Invadem até a calçada das gentes

Mas, teus braços, ah teus abraços!
Afugentam a violência inteira
Só escuto de longe o som
Do movimento na estrada

O abraço e braço seu me aparam
Da velocidade do mundo
Que não para, rumina insanamente.

Naiana  Freitas, 13 de janeiro de 2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada!!!