sábado, 1 de junho de 2013

XXXII_ “A um poeta ”_ Olavo Bilac ( In: Via-Láctea)



XXXII
A um poeta
Leio-te: - o pranto dos meus olhos rola:
- Do seu cabelo o delicado cheiro,
Da sua voz o timbre prazenteiro,
Tudo do livro sinto que se evola...

Todo o nosso romance: - a doce esmola
Do seu primeiro olhas, o seu primeiro
Sorriso, - neste poema verdadeiro,
Tudo ao meu triste olhar se desenrola.

Sinto animar-se todo o meu passado:
E quanto mais as páginas folheio,
Mais vejo em tudo aquele vulto amado.

Ouço junto de mim bater-lhe o seio,
E cuido vê-la, plácida, a meu lado,
Lendo comigo a página que leio.



Naiana Freitas, 01 de junho de 2013.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada!!!