terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Trecho: Fartura e carência/ Clarice Lispector

“[...] A raiva me tem salvo a vida. Sem ela o que seria de mim? Como suportaria eu a manchete que saiu um dia no jornal dizendo que cem crianças morrem no Brasil diariamente de fome? A raiva é a minha revolta mais profunda de ser gente? Ser gente me cansa.[...] Há dias que vivo de raiva de viver. Porque a raiva me envivece toda: nunca me senti tão alerta."



LISPECTOR, Clarice. Fartura e carência. In: Idem. A descoberta do mundo. Rio de Janeiro: Rocco, 1999. p. 135.





Naiana Freitas, 18 de fevereiro  de 2014. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada!!!