domingo, 8 de junho de 2014

Trecho da Crônica "Não entender" de Clarice Lispector

“[...] O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender o que eu não entendo.”


LISPECTOR, Clarice. Não entender. In: _______. A descoberta do mundo. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.p.172.



Naiana Freitas, 08 de junho 2014. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada!!!