terça-feira, 29 de julho de 2014

Citação_Denis Diderot

“Todos os seres circulam uns nos outros. Tudo é um fluxo perpétuo. O que é um ser? A soma de um certo número de tendências. E a vida? A vida é uma sucessão de ações e reações. Nascer, viver e passar é mudar de formas”.


Denis Diderot (filósofo, escritor, 1713-1784)


KONDER, Leandro. O que é dialética. São Paulo: Brasiliense, 2008.p.16


Naiana Freitas, 29 de julho de 2014.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Blindar um texto....

Esse meu desejo de blindar um texto é assustador e quase jurídico. Talvez, esse exercício seja o mais próximo que eu chegue do direito. Eu não amo as leis, amo as letras!


Naiana Freitas, 28 de julho de 2014.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

sábado, 19 de julho de 2014

Aprender _Citação: Florbela Espanca



foto: Naiana Freitas







"[...]Tanto tenho aprendido e não sei nada. "

Florbela Espanca

in: Poema Caravelas 

Disponível em: http://www.citador.pt/poemas/caravelas-florbela-de-alma-conceicao-espanca. Acesso em: 19 julh.2014.

Naiana Freitas, 19 de julho de 2014.

sábado, 12 de julho de 2014

Vexame, para quem?

Penso que somente os “brasileiros” acreditam que a seleção brasileira joga bola! Os sete gols foram um exagero, concordo. Nem eu, uma brasileira ás avessas esperava uma goleada dessas. Mas, enquanto todos os brasileiros lamentam pelo vexame e procuram respostas ao fracasso...
Eu não!  Por dois motivos: primeiro não torço pela seleção brasileira desde os 10 anos, logo, não é “modinha”... É sólido; depois a seleção brasileira se mostrou tão volúvel a minha não torcida, por isso senti uma urgência em exercer minha Oposição. E, para mim existe um descolamento entre “BRASIL” e “SELEÇÃO BRASILEIRA”, elementos diferentes que se associam, mas não são iguais. Sou tão Brasil que percebo como estamos doentes... Estamos morrendo... Sem precisar de homem-bomba ou “Jihad”...
Não fiquei triste nem um pouquinho. Diante de uma encenação tão cômica como chorar? Dizem por ai, que diante dos períodos mais turbulentos a comédia se tornou tão forte como a tragédia... Qual a vantagem da primeira? Trazer o riso... E como nos dizia Aristóteles ela retrata sempre os homens piores do que são realmente. Eu não sei se tão piores, mas acho que tão iguais... Depois, acho que não é tragédia, porque se fosse estaríamos refletindo sobre isso, posição que não nos encontramos... Quem sabe na Rússia... Mas, lá o frio congelará as pernas dos heróis brasileiros... E sem o craque maior, que terá problema no dedo mindinho a seleção desde pelo ralo...
Para os brasileiros que creem que a seleção joga bola... Só posso dizer: Meus pêsames!  Porque se vocês sofrem por um vexaminho desses, não suportariam encontrar pelas esquinas do Brasil a nossa humilhação diária. Que eu vejo todos os dias, nesta minúscula cidade chamada Salvador! Naturalizamos “de um tudo”, então nada nos causa desgosto não... Tudo é normal, e o que deveria ser normal, não é, é extraterrestre! E, considero o mais simples da normalidade o respeito: à sexualidade, religião do outro... E cor da pele? (perguntarão uns) para mim nem deveria ser o nosso problema...Todo mundo feito do mesmo barro, do mesmo excremento.  
Vexame é esquecer que o outro do seu lado é brasileiro...
Ah, e viva aos holandeses!!
Vocês foram a energia nessa copa, com essa intensa cor laranja! (que amo!)
http://elaseodesporto.blogspot.com.br/2012_06_01_archive.html



Naiana Freitas, 12 de julho de 2014.

terça-feira, 8 de julho de 2014

Ich liebe die Deutschen!










Viva!!!!
Eu disse, eu disse....
Sou uma não torcedora legítima! 
E não tenho vergonha!!!
Tornei-me uma não torcedora em uma copa que o BRA venceu.....Será que existirão não torcedores em uma copa que o BRA perdeu?
Ich liebe die Deutschen!!!!


Naiana Freitas,08 de julho de 2014.

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Unanimidade...

Quando se aprende o caminho da não unanimidade, o que se ganha é o orgulho!
Tenho orgulho de ser uma contra torcedora da seleção brasileira!
Com plena consciência de que sou brasileira fora do circuito: 4/4!
E, para não ser acusada de injusta reconheço apenas o gol de falta, como digno de uma seleção campeã...

É, Naiana você não nasceu para aceitar a ilusão, aliás, só a literária porque é uma ilusão bem feita! Claro, em minha opinião...



Naiana Freitas, 04 de julho de 2014. 

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Sintomas de Saudade/Marisa Monte

Eu só quero que você saiba
Que eu estou pensando em você
Agora e sempre mais
Eu só quero que você ouça
A canção que eu fiz pra dizer
Que te adoro cada vez mais
E que eu te quero sempre em paz

Tô com sintomas de saudade
Tô pensando em você e como eu te quero tanto bem
Aonde for não quero dor, eu tomo conta de você
Mas te quero livre também
Como o tempo vai o vento vem

Eu só quero que você caiba
No meu colo, porque eu te adoro cada vez mais
Eu só quero que você siga para onde quiser
Que eu não vou ficar muito atrás

Tô com sintomas de saudade
Tô pensando em você e como eu te quero tanto bem
Aonde for não quero dor, eu tomo conta de você
Mas te quero livre também
Como o tempo vai o vento vem

Eu só quero que você saiba
Que eu estou pensando em você
Mas te quero livre também
Como o tempo vai o vento vem
Que eu te quero livre também
Como o tempo vai o vento vem


Disponível em: http://letras.mus.br/marisa-monte/sintomas-de-saudade/. Acesso em: 03 de jul.2014

Naiana Freitas, 07 de julho de 2014

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Todas as cartas de amor são/ Álvaro de Campos

Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.
Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.
As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.
Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.
Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.
A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.
(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas).
21-10-1935


Poesias de Álvaro de Campos. Fernando Pessoa. Lisboa: Ática, 1944 (imp. 1993).  - 84.

Disponível em : http://arquivopessoa.net/textos/2492. acessado em 02 Jun.2014.

Naiana Freitas, 02 de julho de 2014.