domingo, 19 de outubro de 2014

O fracasso da política brasileira faz parte de um estratégico planejamento, novidade?


Estou imensamente lúcida, a palavra MUDANÇA na propaganda do PSDB me fez gargalhar... E analisar como esta disputa eleitoral é uma das mais visíveis “luta de classes” que lembro ter visto na TV. Particularmente, faço parte dos milhões de brasileiros lúcidos que não veem políticos, mas quadrilhas de gravata... Sou pelo nulo, abaixo escória, sanguessugas...
Então, agora só para afirmar que quem sustenta esse país é o povo, e não o contrário, e como ainda não alcancei um nível mais alto de niilismo e como também desejo  provocar  a elite brasileira e a elite baiana, estrategicamente votarei no PT. Não porque acredite que ela é a melhor, que o dito cujo. JAMAIS! Eu não acredito nisto mesmo, mas se já foram eleitos torturadores e “palhaços” para Deputado Federal nessa eleição... Um neto já é demais...
Não estou queimando minha mão, não a coloco no fogo por ninguém, quanto mais por partido político, mas tenho ouvido tanta bobagem que me atinge diretamente, porque sou POVO e pior ainda, uma nordestina de boa memória. Deixo bem claro, que não sou cabo eleitoral, não recebo assistência dos Programas Federais, não sou cantor da MPB brasileira, não tenho a ilusão de me considerar elite porque tenho um papel com o nome diploma escrito em letras garrafais e timbrado por uma Instituição Federal, não pretendo alcançar seguidores tampouco abrir Igreja ou partido... Esse texto deve-se ao fato que cheguei ao limite, tento sempre ficar com “cara de paisagem” porque nada adianta e falar com “porta” nunca é uma boa opção.
 Pelos motivos que seguem, penso, estrategicamente em votar no PT. E o motivo principal que me leva a isso é o reconhecimento das políticas ao acesso ao saber formal superior e técnico oferecido às camadas populares à força através do PROUNI, PRONATEC, as novas configurações do FIES e aumento de vagas nas Universidades Federais. Segundo, como eu sou POVO e serei acusada pelo futuro do país, votando ou não, através da frase: Cada povo tem o político que merece... Vou votar “para merecer”. (muitos risos). Só através de um acesso ao saber em longo prazo (bem longo mesmo), possa acontecer um desamarro discursivo desse nó que se diz aparentemente “natural” diante de tudo que acontece aqui. Nó que nos persegue, enquanto colonizados Ad infinitum.  Por isso, nós somos carentes desejando sempre um salvador da pátria, herói e curiosamente um descendente de Clark Kant. O terceiro motivo é aversão a esse povo “que não tem onde cair morto, que é mais brasileiro que eu”, mas, desejo tanto ser “burguês”... Cansada, dessas categorias profissionais como os médicos, advogados que se acham na ponta do iceberg da hierarquia social... Claro que, os primeiros estão irritadíssimos devido à intromissão de “não seus” ao seu fechado e sagaz sistema organizacional...
Como ouvi recentemente em uma palestra lá em Letras, repetirei essa frase dita pela palestrante “O fracasso da educação brasileira é um sucesso planejado” (Darcy Ribeiro), digo mais, o fracasso da política brasileira faz parte deste mesmo planejamento.
Naiana Freitas, 19 de outubro de 2014.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada!!!